blogresenhabarata

RESENHA RB #7 | Belo Desastre

Olá amores!

Mais uma resenha do blog no ar e preciso dizer que, apesar de não ter gostado muito desse livro, precisava compartilhar os sentimentos com vocês. Vamos lá?

Belo Desastre • Jamie McGuire • Verus, 2012 • 392p. • Romance • E-book • Compre aqui

download

Abby Abernathy é uma boa garota. Ela não bebe nem fala palavrão. E acredita que seu passado sombrio está bem distante, porém, quando, para cursar a faculdade, se muda para uma nova cidade, seu recomeço é rapidamente ameaçado pelo bad boy do local: Travis Maddox. Um jovem com um corpo esculpido, abdômen definido e braços tatuados. Tudo que Abby precisa – e deseja – evitar. Mas o menino é um conquistador e logo se depara com a resistência de Abby ao seu charme. Intrigado, Travis a atrai com um jogo. Se ele perder, terá que ficar sem sexo por um mês. Se ela perder, deverá morar no apartamento dele pelo mesmo período. Qualquer que seja o resultado da aposta, nem passa pela cabeça do garoto que ele acaba de se deparar com uma adversária à altura.

Tem certos livros que eu sinceramente não entendo por que fez sucesso.

Que livro, meu Deus, que livro! E nem digo isso no bom sentido. Há tantos erros que eu tive que respirar fundo durante a leitura e ser forte para escrever a resenha para vocês, haha. Para contextualizar a leitura, preciso dizer que este livro estava na minha listinha de TBR (To Be Read) desde o lançamento, mas sempre deixava de lado. Acabei lendo este ano em e-book e me arrependi. Boba como sou, tinha até adquirido o próximo livro que sinceramente, VONTADE 0 de ler.

Para começar, Abby não é a boa garota que a sinopse diz. Ela bebe MUITO e fala palavrão, sim. (Eu simplesmente odeio quando a sinopse não bate com a história; outra coisa: por que essa borboleta na capa se o apelido dela é beija-flor??? WTF haha) Ela é uma personagem construída rasamente, do tipo que me fez odiá-la mais do que o Travis.

“- Sabe por que eu te quero? Eu não sabia que estava perdido até que você me encontrou.”

Os dois acabam se conhecendo quando America, melhor amiga de Abby, convence-a a assistir uma luta clandestina de alguns estudantes da universidade e, na ânsia de ver a luta de perto, Abby vai se aproximando círculo até que fique cara a cara com Travis. A autora quer dar a entender que a química é imediata, mas foi escrita de forma tão simples que não achei tudo isso.

Depois disso os dois acabam se encontrando na universidade e se aproximando porque Travis é colega de apartamento do namorado de America. Aí começa o famoso “cão e gato”. Abby repudia a fama de pegador de Travis e ele, como bom bad boy, tenta convencê-la até que desiste.

Os dois, diante da resistência da Abby e cansaço de Maddox, decidem ser apenas bons amigos. Não preciso nem dizer que essa decisão vai por água abaixo.

“Ele não temia nada. Até me conhecer.”

Para quem é fã de NA (New Adult) como eu, já sabe muito bem como funcionam os livros que têm cenário a faculdade. Parecem sempre clichês e sempre tem um bad boy envolvido, mas alguns autores conseguem deixar isso em segundo plano. Alguns autores escrevem tão bem e nos deixam tão envolvidos que o “clichê” se torna detalhe. Infelizmente McGuire não conseguiu isso.

As passagens de tempo são rápidas e confusas, as decisões dos personagens não são coerentes, o exagero é contínuo e Maddox não é tão bad boy assim (na verdade eu me afeiçoei mais por seu lado bonzinho do que com Abby), dado, claro, meu histórico de leituras do gênero. O lado HOT do livro também não é lá aquelas coisas. Acho que eu criei expectativas demais, hahaha. Mas é inevitável quando as propagandas por aí dizem que Maddox é quente, bad boy de primeira linha e inesquecível. Na verdade eu consegui esquecer bem rapidinho esse livro.

“Eu não sabia se a gente ia conseguir sair dali vivos ou não. Eu só queria estar onde você estivesse, não importa o que isso significasse.”

Odiei o fato de Abby ser controlada por Travis. Ela troca de roupa quando ele manda, corre para salvá-lo e aguenta os ciúmes dele. Em muitas resenhas vi o pessoal alertando que adolescentes podem ler e “interiorizar” os comportamentos como normais (o que não concordo, mas não vamos falar disso agora). Por isso, considerem que a obra é FICÇÃO e enquanto obra fictícia foi mal desenvolvida.

Mas para não dizer que não falei das partes boas de Belo Desastre, posso dizer que a escrita é fluída e há muitos momentos engraçados. Enfim, para quem é fã do gênero, vale a leitura como passatempo. Não vá com sede ao pote e evite spoilers.

AVALIAÇÃO: ★★

Me contem nos comentários abaixo se já leram o livro e não esqueçam de seguir @resenhabarata no Instagram para ver fotos autorais. E comprando o livro pelo link clicável do post você ajudará o blog a crescer!

Um beijo e até logo!

✎ O blog Resenha Barata tem como política interna a produção de resenhas autorais ou colaborativas de livros que custam até vinte reais. Apoiamos uma literatura mais acessível financeiramente e objetivamos que o leitor do blog saia satisfeito de duas formas: economizando e lendo uma boa história. Leia mais sobre nossos objetivos na aba “sobre” do blog.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.